13 de jul de 2015

Resenha




Se Eu Ficar + Para Onde Ela Foi

Olá Pessoal! Para quem ainda não sabe, estamos com um sorteio no ar aqui pelo blog e pela nossa página no FB, nada mais justo, resenharmos os livros em questão, então aqui está as resenhas.

Vale lembrar que a adaptação cinematográfica sobre o livro foi lançada e tem sido sucesso de crítica e público. Eu não vi o filme ainda, mas deixo para vocês o trailer e pelo trailer, putz! É tão emocionante quanto o livro talvez até mais.


Vamos a resenha!





Resenha: Se Eu Ficar
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito – 2014
Páginas: 224

Curiosidade: O livro tem uma edição da Editora Rocco (2009) e a atual é da Editora Novo Conceito.

“Eu não sei se depois que você morre você lembra das coisas que aconteceram quando você estava viva. Faz um sentido lógico que você não lembre. Que estar morto vai parecer como antes de você nascer, que é como dizer, um bando de nada.”

O livro conta a história de Mia, uma adolescente de 17 anos, violoncelista em meio a uma família que curte rock. O pai no passado teve uma banda e a mãe era hippie. Temos ainda Teddy o irmão mais novo, Adam, o namorado que tem uma banda famosa na cidade e Kim, a melhor amiga que nos faz ter gostosas gargalhadas

“Parecia que se você o tocasse, ele te contaria segredos, então comecei a tocar. Faz quase 10 anos agora e eu nunca parei.”

Em um dia onde todos são dispensados de seu serviço por conta da neve, eles decidem sair para visitar alguns parentes em outra cidade. Nesse momento o acidente acontece.

A narração da autora até o momento em que Mia se descobre desmaiada na beira da estrada sendo socorrida, realmente te engana. Você não faz ideia que isso esteja acontecendo até que ela te diz.

“Eu não deveria ter que trabalhar tanto. Eu percebo agora que morrer é fácil. Viver é difícil.”

Toda a história vai se desenvolver no hospital, sua alma perambula assistindo tudo enquanto seu corpo está entre a vida e a morte e recebendo a notÍcia que sua família não sobreviveu.

Dentro do hospital mesmo ela vai relembrando fatos de sua vida. Ocasiões com os pais e irmão, os conflitos no namoro, como eles se conheceram e seu amor pela música.

O livro mexe com pessoas sensíveis como eu. – Sim, chorei horrores. A leitura demora a engrenar, mas quando engrena você consegue acompanha bem. Tem horas que Mia me irrita com tanta bobeira, com tanto “nhem” “nhem” “nhem” 

Adam é outro que em determinado momento, você não sabe se morre de amor ou de ódio.

Momento emocionante:
Uma cena onde o avô dela conversa com ela dizendo que eles querem que ela fique com eles, mas que estaria tudo bem se ela quisesse partir.

“Está tudo bem,” ele me diz. “Se você quiser ir. Todo mundo quer que você fique. Eu quero que você fique mais do que jamais quis algo na minha vida.”“Mas isso é o que eu quero e eu posso entender o porque pode não ser o que você quer. Então eu só quero te dizer que eu entendo se você se for. Está tudo bem se você nos deixar. Está tudo bem se você quiser para de lutar.”
Não tem como não chorar nessa parte!

Minha opinião:


Gostei desse tipo de narrativa quando dei por mim, já tinha praticamente terminado a leitura, as histórias são cheias de emoção e alegria que você se aproxima do personagem tão intensamente que sofre junto com ele. 

Nós conseguimos perceber por que ela acha tão difícil se decidir se ela quer ficar ou não.




  
Resenha: Para Onde Ela Foi
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito – 2014
Páginas: 240


O livro Para Onde Ela Foi chegou ao Brasil anos depois do primeiro livro, Se Eu Ficar, foi lançado e prepare-se apesar de se tratar de uma duologia, um livro não tem nada a ver com o outro.

Enquanto em Se Eu Ficar, vemos as angústias de Mia e sua indecisão se permanece viva ou não depois do acidente que tirou a vida de seus pais e irmão, em Para Onde Ela Foi vemos a história contada pelo ponto de vista de Adam que agora é um roqueiro bem sucedido e Mia que é uma estrela Julliard e eles não se vêem por três anos. O livro narra presente e passado, assim como no seu antecessor e nos mostra um Adam diferente do que vimos antes, natural, tendo em vista que ele cresceu e evoluiu. 

Evoluiu? Bom, ele tem ataques de pânico, toma remédios para ansiedade e é fumante ativo.

“O que eu não consigo entender é como ela fez isso...”

O que aconteceu, você se pergunta, eu digo que muita coisas, mas prefiro deixar os detalhes. O que eu sei é que você consegue compreender sua dor e quer de fato estar lá para ajudá-lo.

“Todo mundo tem suas tragédias na vida. Todo mundo tem dor...”

Mia está diferente, passou por um trauma, abandonou seu grande amor e nunca poderá ser a mesma novamente. Ela é uma sobrevivente e conseguiu se reerguer. Está prestes a começar sua turnê pelo mundo quando se encontra com Adam.

Mia e Adam por coincidência se reencontram depois de ela tê-lo deixado sem se despedir e esse reencontro é realmente intenso.

“Meu primeiro impulso não é agarrá-la, beijá-la ou gritar com ela. Só quero tocar seu rosto...”

Minha Opinião:


É difícil ver Mia sem Adam e Adam sem Mia e ver isso concretizado, não é muito legal, na “moral da história”, acho que a autora nos faz pensar se é possível seguir em frente e perdoar quem seguiu sem nós.

A autora trás uma escrita menos inocente e isso me deixou muito feliz. Ela conseguiu me fazer estar no lugar do personagem, coisa que não aconteceu no outro livro.

O Livro é bom, eu gostei e indico!

Classificação



Espero que tenham gostado e que minha impressão sobre os livros faça com que você tenha vontade de ler.


Para quem quiser participar do sorteio, segue o link:











Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©