23 de jul de 2015

[Resenha] Prazeres Sombrios- Indômita - Ilustríssima Eu









LIVRO: Prazeres Sombrios- Indômita.


AUTORA: Ilustríssima Eu


POSTADA NO SITE: Nyah fanfiction.


 ANO: 2012





Sinopse:

Em uma época marcada pela guerra entre clãs, baseado na história dos York e Lancaster, duas Casas enfrentam-se há décadas em uma mortal desavença. Para garantir a paz entre os reinos, os reis da Escócia e da Inglaterra impõem aos herdeiros dos dois clãs um casamento. Ele, um homem frio e marcado por sombrias cicatrizes, conhecido como Mensageiro da Morte por seus inimigos; ela, uma moça cuja beleza inspira o pecado e cuja férrea e determinada vontade só pode ser definida como indômita. Atados por um casamento, inimigos por guerras juradas e tentados pelo desejo, Indômita narra o romance entre Leonor Knightley de Westminster e Duncan McGregor, onde o palco é uma sangrenta aquarela de guerra, vingança, traições e uma paixão avassaladora.



Resenha:
Hey peoples! Li essa fanfiction há um tempinho no Nyah e como ela me encantou profundamente resolvi resenha-la e quem sabe encantar mais alguém com essa estória emocionante.


Prazeres sombrios- indômita é um romance medieval, como a sinopse diz baseado na história dos York e Lancaster, que tem como cenário principal o ódio entre dois clãs e a sua rixa que perdura  há anos e que deixou muita destruição ao longo desse tempo, decididos a por fim nessa inimizade os reis Henrique da Inglaterra e Edgar da Escócia propõem o casamento de Anna Leonor Knightley e Duncan McGregor, fato este que não agradou a ambos. 
Leonor morena e de traços pecaminosos”, uma jovem inglesa de dezesseis anos destemida, indômita no sentido literal da palavra e nem um pouco submissa,  acreditou ser o fim de sua vida, pois há pouco tempo era solteira e feliz e agora iria unir-se em matrimônio com o homem, cujo o pai destruiu sua família, e o pior de tudo ter conhecimento disso poucos dias antes de suas bodas, além da desavenças, era de conhecimento de todos a fama de seu futuro marido, era chamado de o “mensageiro da morte”, o “feto do diabo”,  definições que não agradam a ouvir sobre alguém com quem  em breve casará, o que fazer? Via-se encurralada, aceitar esse casamento seria não respeitar a memória de seus pais, unir-se ao inimigo, mas não aceita-lo implicaria continuar em conflito com os McGregor ( o que a pouco importava), mas seu tio Richards, adepto a pacifismo  já havia decidido juntamente ao rei que era chegada a hora de acabar com a discórdia e Leonor preferia a tortura ou a morte.

 Duncan McGregor, um escocês de vinte e quatro anos, “cabelos de um castanho-escuro quase negro e olhos tão escuros que chegavam a serem indecifráveis, surreais”, com a constituição física de um guerreiro, frio, devido ao seu passado duro, não era a toa que era chamado de o “mensageiro da morte”, todos temiam sua presença, menos um intrépida inglesa..., quando Duncan tomou conhecimento da união, chegou a pensar que o rei Edgar estivesse divagando, mas para sua infelicidade era a mais pura verdade, e por ter jurado lealdade ao rei que tanto lhe ajudou, acatou a decisão, mas não sentia-se nenhum um pouco entusiasmado, como casaria-se com uma inglesa? pior ,uma Knightley? .
 Em um ponto Leonor e Duncan concordavam, anos de ódio e inimizade não se extinguiriam com um casamento.

Ai te leva a pensar, puts! eles se odeiam vão se matar nas núpcias, mas o tempo, a convivência, as brigas ( sim, eles brigam muito e a fama do seu marido não intimida nenhum pouco a Leonor, ela é brava, durona, Duncan sofre na mão dela hahaha) e vários acontecimentos ( que não relatarei, porque sou pura de coração e spoilers são maus rs ), contribuem para que ambos encontrem o amor um no outro, porque se eles se matassem não ia ter história (risos) , então aos poucos a nossa querida indômita e nosso lindo mensageiro da morte, descobrem que deitar-se com o inimigo pode ser tentador e melhor avassalador...

Minha opinião sobre a história:

A autora tem uma escrita impecável, e o fato da mesma ter se preocupado de conhecer a história e de se utilizar de alguns fatos, enriqueceram grandiosamente o seu texto, comentando um fato relatado por ela,  a mesma  aprendeu gaélico para compor seu enredo e personagens, fato esse que me impressionou bastante, posso afirmar que me encantei por Prazeres Sombrios desde o prólogo até a sua última linha, tanto por que histórias da idade média me fascinam, quanto pelo que me foi apresentado, é emocionante, instigante, com mocinhos nada convencionais (vocês certamente se apaixonarão e torcerão por “Leocan” ou “Dunor”, seja como for , eles os conquistarão) recheada de aventuras,  batalhas, hot e  muito romance.
 Deleite-se com os Prazeres Sombrios.

Elaine Queiroz
 


Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Uahuahuah
    Arrasou Lane! Mesmo com a fonte estando uma zona! - zoando - pra nao ficar bolada...
    Fiquei mesmo com vontade de ler, tenho queda por histórias de época.
    Esperando a proxima!

    ResponderExcluir
  2. Amigaaa ficou ótima a resenha, muito bem escrita. Ah, ameeeei que não deste spoiler. Kkkk
    Já li essa estória e me encantei. É tudo o que a Elaine "falou" e mais um pouco, é muito bem escrita e envolvente do começo ao fim.
    Que não leu, corre pra ler porque vale muito a pena, não é um romance "água com açúcar" e nada previsível, mas impossível de não se apaixonar por Leocan.

    ResponderExcluir
  3. AÊÊ AHASSOU Dupla! Tem um bom tempo que não leio nada de época, mas a sua resenha me instigou.
    Ficou muito legal!

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©